O que são os 4 P’s do Marketing?

O conceito dos 4 P’s do Marketing surgiu em 1960, criado por Jerome McCarthy e difundido por Philip Kotler, conhecido como o “Pai do Marketing”. 


Esse conceito traduz pilares importantes nas estratégias de marketing e, mesmo após mais de 60 anos após sua criação, o conceito dos 4 P’s do Marketing passou por atualizações para se adequar a era digital.


Neste artigo vamos te apresentar quais elementos forma o conceito de Kotler, com exemplos atuais para que você consiga inseri-los nas estratégias de marketing do seu negócio.


Os 4 P's do Marketing

O que são os 4 P’s do Marketing?

Os 4 P’s do Marketing são as iniciais dos 4 componentes pilares do conceito:


  • Preço;
  • Produto;
  • Praça;
  • Promoção.

Esses pilares são as variáveis as quais as empresas utilizam para apresentar sua oferta ao público-alvo, atingindo assim os objetivos. Esse conceito também é comumente conhecido como Mix de Marketing ou Composto de Marketing.


Segundo Kotler, esses pilares são variáveis que são decididas internamente dentro da empresa, por isso podem ser controladas. Devem ser decididas de acordo com os objetivos de vendas e do marketing do negócio.


Todavia, esses pilares são interdependentes e o sucesso de um fator depende totalmente dos outros. Daí se dá a importância de um bom planejamento alinhado em todos os fatores.


O que significa cada pilar que formam os 4 P’s do Marketing?

Em geral, sabemos que o Mix de Marketing é composto por 4 pilares: preço, produto, praça e promoção, todavia, é de suma importância conhecer o que cada pilar oferece como beneficio ao seu negócio, unitariamente e como um todo.


Preço

Não parece, mas a precificação é uma tarefa que envolve Marketing. Além de ser um único pilar que gera receita para seu negócio, a precificação também é fator determinante na construção de posicionamento da sua marca.


O preço é o montante em dinheiro que o seu cliente paga pela solução ou benefício que o seu produto ou serviço entrega para ele. 


Logo, fica claro que o fator psicológico precisa ser fortemente considerado na precificação, uma vez que o cliente faz uma avaliação de “custo x benefício” ao adquirir seu produto ou serviço.


Essa avaliação é intangível, uma vez que envolve além de aspectos emocionais, aspectos de avaliação e percepção de valor inconscientes. Conclui-se que, quanto maior a percepção de valor do produto por parte do cliente, mais ele está disposto a pagar.


A exemplo disso, temos produtos ou serviços aos quais o cliente não se importa em pagar mais por produtos que sejam diferenciados e que provoquem algum benefício que seja valoroso para ele como, por exemplo, brigadeiros gourmet e cerveja artesanal.


No preço, estão envolvidas decisões como:


  • Preço de Lista;
  • Formação de Preço;
  • Forma de cobrança;
  • Variações regionais;
  • Condições  e formas de pagamento;
  • Politicas de descontos.

Dentro do item preços, podemos destacar 3 pontos importantes:


  • Esteja sempre de olho nos concorrentes e nas movimentações dentro do seu mercado. Assim, você conseguirá fazer ajustes no seu preço quando necessário;
  • Ao precificar considere fatores como: custos da empresa, o lucro esperado, os concorrentes e a percepção que deseja transmitir ao cliente;
  • Não se recomenda variar o preço com frequência e sem um real motivo, pois pode confundir a percepção do cliente.

Produto

É o porquê de existir de uma empresa e também podem ser serviços. É o que atende as necessidades do cliente, supera as expectativas, soluciona problemas e oferece benefícios para eles.


Também em torno dele que os outros pilares são fundamentados. E algumas fatores envolvidos no Preço são:


  • Qualidade;
  • Variações de características;
  • Design do Produto;
  • Embalagem;
  • Linhas de produtos;
  • Branding;
  • Serviços agregados ao produto (assistência técnica, pós-venda, garantia, etc.)

Dentre esses fatores, a percepção do cliente envolve fatores tangíveis e intangíveis em relação ao produto. 


A exemplo disso temos os apaixonados por Iphone, que além da qualidade do celular, layout ou boa câmera, buscam o status e prestígio que a marca confere ao usuário.


Além dos fatores citados, é preciso que você conheça o ciclo de vida do seu produto. Com ele você entende os melhores momentos do seu produto e cria estratégias baseadas nos melhores momentos.


O Ciclo de Vida de um produto consiste em:


  • Introdução ao mercado;
  • Ele é bem aceito e cresce no mercado;
  • Ele se estabiliza e cria uma maturidade dentro do mercado;
  • O produto entra em declínio.

No caso de serviços, é preciso que a empresa consiga tangibilizar o serviço, seja nos materiais de divulgação, nos pontos de contato, nos locais de venda, na execução de serviço e na equipe de colaboradores. 


Quanto mais a empresa conseguir mostrar o valor do serviço, qualificando e personalizando a execução, maior será a percepção de valor por parte do cliente.


Praça

Refere-se aos pontos de venda ou centros de distribuição, além de estratégias voltadas para vendas. Podem ser físicos ou virtuais e, basicamente, este pilar define como seu produto chegará até o cliente.


Uma empresa pode optar por vender em pontos de venda físicos ou em loja online. Ou optar por vender em lojas próprias, ou marketplace. Ou ainda optar por entregas, ou retiradas em lojas físicas. Tudo isso envolve a variável Praça.


As estratégias em torno deste pilar dependem muito de cada tipo de produto ou serviço e envolvem decisões como:


  • Canais de distribuição;
  • Cobertura de atendimento;
  • Pontos de vendas;
  • Regiões atendidas;
  • Estoque;
  • Centros de distribuição;
  • Frete.

A depender da sua escolha de pontos de vendas, é importante oferecer uma experiência Omnichannel para agregar uma melhor experiência de compra para o cliente. 


A exemplo disso, podemos citar a Amazon, que vende no mundo todo, com uma experiência de compra ótima. Além de uma ampla cobertura, oferece serviços de frete rápidos, que são possíveis devido a seus diversos centros de distribuição, além de parcerias com transportadoras. 


E é claro que o atendimento e jornada de compra é estrategicamente pensada e pautada no Omnichannel.


Promoção

Diferente de dar desconto ou fazer liquidações, o pilar Promoção dos 4 P’s do Marketing refere-se a estratégias que alavanquem a demanda pelo produto junto a um determinado público.


As variáveis que envolvem a promoção giram em torno de ações para comunicar sua marca para o público, despertando interesse e expectativas sobre o seu produto.


Dentre as variáveis podemos destacar:


  • Propaganda;
  • Promoção de Vendas;
  • Publicidade;
  • Relações Públicas;
  • Assessoria de Imprensa;
  • Merchandising;
  • Redes Sociais;
  • Sites e blogs;
  • Influenciadores.

Com a era da internet, a promoção está voltada para ações online. A exemplo disso, temos o Magazine Luiza, que se reinventou criando a Lu do Magalu, uma brandpersona, que aproxima a marca e o público, através de Storytelling e ações em redes sociais, além da TV.


Em contrapartida, você não precisa da criação de um personagem para fortalecer a sua marca. Fazer bom uso das redes sociais, fortalecendo uma comunidade que gire em torno do universo de marca do seu negócio é uma ótima forma de engajar.


Entenda que os 4 P’s do Marketing são um conceito flexível e que deve ser adaptado tanto para a realidade do contexto de marketing atual quanto para a realidade do seu negócio. O importante é dar voz para o seu negócio, posicionando-o no mercado e atingindo metas e objetivos.


Por fim, conhecendo todos os pilares dos 4 P’s do Marketing, entendo profundamente cada um deles e suas características, é possível criar estratégias de mix de marketing, interligadas a cada pilar, alinhadas com os objetivos da empresa e com foco no protagonista do seu negócio – o cliente.

Posts relacionados

Siga nossas redes sociais

Eiii, vc já vai?

Antes cadastre-se em nossa lista vip e receba novidades exclusivas de Marketing e Vendas direto no seu e-mail.